quinta-feira, 19 de abril de 2012

Pró-memória divulga músicos selecionados para Prêmio Nabor Pires Camargo



Em sua 11ª edição, evento contou com 49 inscritos 

A Fundação Pró-Memória de Indaiatuba divulgou na segunda-feira (16) os nomes dos dez selecionados para se apresentarem na audição pública do 11º Prêmio Nabor Pires Camargo – Instrumentista. O resultado foi divulgado na página eletrônica do prêmio na internet www.premionabor.com.br. A triagem foi realizada nos dias 12 e 13 de abril por uma comissão formada pelo contrabaixista Valgério Adriani Gianotto, pelo músico e criador do "Prêmio Nabor Pires de Camargo” Marcelo Antunes Martins e pelo escritor Antonio da Cunha Penna. Confira os selecionados: 


Candidato – Instrumento - Cidade

1 – Vitor Casagrande – Violinha Tenor – Piracicaba (SP)

2 – Agnaldo Dias Luz – Bandolim – São Paulo (SP)

3 – Matteo Ricciardi – Clarinete – Belo Horizonte (MG)

4 – Rafael da Silva Barros – Cavaco – Piracicaba (SP)

5 – Luis Carlos Leite da Cunha Melo – Violão – Juiz de Fora (MG)

6 – Eduardo Guarnetti Johansen – Trombone – Bauru (SP)

7 – Gabriel Romano Gonzalez – Acordeon – Esteio (RS)

8 – Wellington Guimarães Gama – Bandolim – Uberlândia (MG)

9 – Marco Antonio de Abreu Moraes – Saxofone – Piracicaba (SP)

10 – Hercules Gomes – Piano – São Paulo (SP)

Esta edição do evento contou com 49 inscritos que enviaram duas músicas cada (uma do clarinetista Nabor Pires de Camargo e outra de livre escolha), por meio das quais os jurados Antonio da Cunha Penna, Marcelo Antunes Martins e Valgério Adriani Gianotto, avaliaram quesitos como habilidade técnica, fraseado, qualidade sonora e interpretação. 

Com entrada gratuita, a audição pública será realizada dia 27 de abril às 19h no Instituto Deco20, situado à Rua Pedro Virilo, 310, Jardim Santiago. O evento será apresentado pelo produtor e apresentador do Programa Chorinho Brasil na Rede Boa Nova de Rádio, João Tomás do Amaral. O show de encerramento ficará por conta do vencedor da última edição do prêmio, o acordeonista Bruno Moritz Neto, de Brusque (SC). 

A comissão julgadora da audição pública do ‘11º Prêmio Nabor Pires de Camargo’ será composta pelos seguintes membros: 

Mário Albanese é titular catedrático da Academia Internacional de música, membro da Ordem Internacional de Jornalistas, da Associação Brasileira de Folclore, da Ordem Nacional dos Escritores, da Academia Metropolitana de Letras Artes e Ciências e do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. Em 1965 lançou com Ciro Pereira o ‘Jequibau’, um novo ritmo musical brasileiro que foi vencedor de concursos internacionais e festejado pela critica nacional e internacional. 

Francisco Araújo teve o pai como primeiro professor de violão, mas a técnica foi aprimorada com o mestre violonista José Alves da Silva, conhecido no meio artístico como Aimoré. Graduou-se como professor de violão no Conservatório Musical de São Caetano do Sul, em seguida estudou harmonia tradicional, harmonia funcional e composição. Possui três CDs gravados e compôs mais de 400 obras para violão, algumas delas fizeram parte de vinhetas e trilhas sonoras para o programa Globo Rural, apresentado pela Rede Globo. 

João Alves da Silva (Bonfim) é violonista e professor formado pelo Conservatório Musical Heitor Villa Lobos. Com um repertório que inclui músicas clássicas, populares e folclóricas, Bonfim agrada as mais exigentes platéias. Atua constantemente com os maiores nomes da música popular brasileira, portuguesa e italiana, sem jamais perder sua marcante personalidade como solista. Bonfim forma com o conhecido humorista Ary Toledo, dupla de violão e bandolim, em shows no teatro e também na televisão. Venceu o 1º Festival Brasileiro de Jovens, promovido pela Rádio 9 de julho e pela TV Globo na categoria de violão solo. 

Silvio Santisteban iniciou seus estudos de violão aos 7 anos e desde cedo apresentou-se em diversos programas infantis até ser contratado pela TV Record para participar de programas como “O Fino da Bossa”, com Elis Regina e ‘Bossaudade’, com Elizeth Cardoso. Foi o primeiro violonista no mundo a gravar o ‘Jequibau’, ritmo criado por Mário Albanese e Ciro Pereira e do qual é até hoje um divulgador juntamente com o violonista Bonfim. Apresentou-se em diversos programas de rádio e televisão. Fez o 1º curso de violão em vídeo no Brasil, trabalho patrocinado pela Di Giorgio. 

José Júlio Stateri é mestre e doutor em Arte-Educação (FESP-USP). Possui licenciatura plena em Música, bacharelado em Piano, dentre outras habilitações para o magistério. É professor de piano e disciplinas teóricas há mais de 35 anos e dedica-se a pesquisa na área de metodologia de ensino, particularmente na área musical. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...